Direitos Humanos, Gênero e Sexualidade

1. Periodicidade
Oferta ENSP - Regular - Anual

2. Objetivo Geral
A temática de Direitos Humanos, Gênero e Sexualidade tão em voga nos dias atuais, com o fortalecimento de movimentos sociais e a consolidação da democracia no Brasil, o que implica em um maior diálogo entre sociedade civil e Estado e se concretiza em políticas públicas, mudanças legislativas e o próprio reconhecimento de novos direitos, urge ser rediscutida, uma vez que atravessa todos os âmbitos da vida social. Assim, objetiva-se:

a) Promover a abordagem reflexiva sobre as relações de gêneros e questões relativas às desigualdades sociais marcadas especificamente pelo viés de gênero e sexualidade, abrangendo recortes de raça e classe social, desenvolvendo competências gerais e específicas por meio da compreensão e diálogos dos conteúdos programáticos;
b) Colaborar com o processo de educação, formação e aperfeiçoamento de profissionais das mais diversas áreas de atuação que se interessam ou que lidam com questões relativas a Direitos Humanos, Gênero e Sexualidade no seu dia-a-dia profissional ou de ativismo/militância política.

3. Justificativa
No momento, no Brasil, existem apenas 04 cursos de especialização promovidos por instituições públicas com essa temática, todos eles no modelo de educação à distância. Tal fato aponta um grande vazio dentro da Academia no sentido de preparar profissionais aptos a lidar com as questões de gênero e sexualidade que demandam crescentemente mudanças sociais significativas. Portanto, esse curso apresenta dois importantes diferenciais qualitativos: primeiro, um forte compromisso com a formação de profissionais e lideranças políticas, buscando promover uma atuação no mercado de trabalho e/ou no âmbito da ação política mais competente em relação às questões que envolvem gênero e sexualidade. O segundo diferencial se dá pela articulação do curso com os movimentos sociais.

Vale ressaltar ainda que esta proposta se insere no plano de ações do Comitê Pró-Equidade de Gênero e Raça instituído na Fiocruz.

4. Concepção Pedagógica
O curso terá nas Unidades de Aprendizagem e nos Seminários Internos a explicitação teórica do conteúdo. Será utilizada como recurso facilitador de aprendizagem, a critério dos professores a exibição de filmes, com posterior discussão.

5. Sistema de Avaliação
Os alunos serão avaliados, individualmente, por intermédio das avaliações dos/as professores/as, destacando a participação em aula, apresentação e trabalhos escritos das unidades de aprendizagem e pela apresentação do trabalho final do curso.

1. Periodicidade
Oferta ENSP - Regular - Anual

2. Justificativa do Curso
Justificativa da oferta do curso No momento, no Brasil, existem apenas 04 cursos de especialização promovidos por instituições públicas com essa temática, todos eles no modelo de educação à distância. Tal fato aponta um grande vazio dentro da Academia no sentido de preparar profissionais aptos a lidar com as questões de direitos humanos , gênero e sexualidade que demandam crescentemente mudanças sociais significativas em nível global. Portanto, esse curso apresenta três importantes diferenciais qualitativos: primeiro, um forte compromisso com a formação de profissionais e lideranças políticas, buscando promover uma atuação no mercado de trabalho e/ou no âmbito da ação política mais competente em relação às questões que envolvem os direitos humanos , gênero e sexualidade. O segundo diferencial se dá pela articulação do curso com os movimentos sociais . O terceiro diferencial consiste no diálogo com instituições e pesquisadores nacionais e internacionais nas áreas de direitos humanos, gênero e sexualidade com enfâse na CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa), trabalhando as temáticas elencadas nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU (Organização das Nações Unidas ). Vale ressaltar ainda que esta proposta se insere no plano de ações do Comitê Pró-Equidade de Gênero e Raça instituído na Fiocruz.

3. Concepção padagógica do curso
Concepção pedagógica do curso O curso terá nas Unidades de Aprendizagem e nos Seminários Internos a explicitação teórica do conteúdo. Serão utilizadas como recursos facilitadores de aprendizagem, a critério dos professores a exibição de filmes e a realização de eventos em parceria com outras instituições de ensino.

4. Objetivos
Objetivos A temática de Direitos Humanos, Gênero e Sexualidade tão em voga nos dias atuais, com o fortalecimento de movimentos sociais e a consolidação da democracia no Brasil, o que implica em um maior diálogo entre sociedade civil e Estado e se concretiza em políticas públicas, mudanças legislativas e o próprio reconhecimento de novos direitos urge ser rediscutida, uma vez que atravessa todos os âmbitos da vida social. Assim, objetiva-se: a)promover a abordagem reflexiva sobre relações de gêneros e questões relativas às desigualdades sociais marcadas especificamente pelo viés de gênero e sexualidade, abrangendo recortes interseccionais de raça e classe social dentre outros , desenvolvendo competências gerais e específicas por meio da compreensão e diálogos dos conteúdos programáticos. b)Colaborar com o processo de educação, formação e aperfeiçoamento de profissionais das mais diversas áreas de atuação que se interessam ou que lidam com questões relativas a Direitos Humanos, Gênero e Sexualidade no seu dia-a-dia profissional ou de ativismo/militância política.

1. Objetivo Geral
A temática de Direitos Humanos, Gênero e Sexualidade tão em voga nos dias atuais, com o fortalecimento de movimentos sociais e a consolidação da democracia no Brasil, o que implica em um maior diálogo entre sociedade civil e Estado e se concretiza em políticas públicas, mudanças legislativas e o próprio reconhecimento de novos direitos, urge ser rediscutida, uma vez que atravessa todos os âmbitos da vida social. Assim, objetiva-se: Promover a abordagem reflexiva sobre as relações de gêneros e questões relativas às desigualdades sociais marcadas especificamente pelo viés de gênero e sexualidade, abrangendo recortes de raça e classe social, desenvolvendo competências gerais e específicas por meio da compreensão e diálogos dos conteúdos programáticos; Colaborar com o processo de educação, formação e aperfeiçoamento de profissionais das mais diversas áreas de atuação que se interessam ou que lidam com questões relativas a Direito Humanos, Gênero e Sexualidade no seu dia-a-dia profissional ou de ativismo/militância política.

2. Perfil do Candidato
O curso se destina a profissionais graduados das mais diversas áreas de atuação, tais como: Ciências Sociais, Direito, Saúde, Gestão Pública, inclusive movimentos sociais, entre outras, que em suas atividades necessitem ampliar sua compreensão sobre as questões relativas a Gênero e Sexualidade.

3. Carga Horária total do Curso
O curso tem carga horária total de 480 (quatrocentas e oitenta) horas, distribuídas da seguinte forma: 380 (trezentas e oitenta) horas para participação nas Unidades de Aprendizagem e 100 (cem) horas para elaboração do TCC, após o encerramento das Unidades de Aprendizagem.

4. Peridiocidade
Oferta ENSP ? Anual

5. Inscrição
Período de 17/03 a 13/04/2021. Para verificar o Edital, como também realizar a inscrição é necessário acessar o link Inscrição em www.sigals.fiocruz.br > Inscrição > Modalidade: Presencial > Categoria: Especialização > Unidade: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca > Curso > Direitos Humanos, Gênero e Sexualidade.

6. Número de Vagas
Estão sendo ofertadas 20 (vinte) vagas, sendo 16 (dezesseis) para candidatos nacionais de ampla concorrência, 04 (quatro) para ações afirmativas.

7. Contato SECA/Ensp
Fundação Oswaldo Cruz Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca Serviço de Gestão Acadêmica - SECA Rua Leopoldo Bulhões, 1480 - Térreo 21041-210 - Manguinhos - Rio de Janeiro - RJ E-mail: pseletivo@ensp.fiocruz.br Homepage: http://www.ensino.ensp.fiocruz.br

1. Objetivo Geral
Refletir criticamente sobre o significado dos direitos humanos e suas relações com a saúde e as políticas de inclusão e acessibilidade para Pessoas com deficiência. Possibilitar aos alunos conhecer os aspectos históricos e conceituais a partir da identificação de políticas de inclusão como direito humano. Habilitar os alunos a identificar barreiras e preconceitos no processo de inclusão na sociedade, interpretando suas causas e identificando proposições para avanços na inclusão e acessibilidade de Pessoas com deficiência. Referenciadas essas discussões numa metodologia de pesquisa e ensino que tem como objeto a acessibilidade e inclusão como direito humano.